» » A melhor estrutura para manter seus vídeos seguros utilizando gravação em nuvem

A melhor estrutura para manter seus vídeos seguros utilizando gravação em nuvem

Postado em 19 de Outubro de 2017 às 08:09:30

Diferente do que alguns pensam, não é necessário deixar de gravar na câmera de segurança para gravar em nuvem.

Os equipamentos Giga são dual stream, ou seja, é possível manter ao mesmo tempo duas configurações: uma para gravar localmente e outra para gravar em nuvem. Isso é útil, por exemplo, quando o cliente quer gravar em alta resolução localmente e em menor resolução na nuvem.

Você pode se perguntar: mas por que não gravar com a mesma resolução na nuvem?

Quando queremos gravar algo em tempo real e em nuvem, temos que lembrar que deverá existir velocidade suficiente de Upload na internet local.

Por esta razão faz mais sentido gravar em nuvem com menor resolução para poupar a internet local e não precisar elevar os custos contratando uma internet mais veloz.

Neste ponto é importante que o profissional apresente aos seus clientes uma oferta de gravação em nuvem que atenda à necessidade, ou seja, que seja suficiente para o que ele deseja monitorar. Hoje já sabemos que 5 fps, por exemplo, são suficientes para realizar qualquer estudo forense. Ou seja, ao prestar uma consultoria ao clientes, entendendo o que será monitorado e definindo a resolução e taxa de movimento ideais reduz os custos do projeto e aumenta as chances de fechamento.


Porque gravar em nuvem e na câmera de segurança ao mesmo tempo?


Existem diferentes necessidades. Alguns preferem gravar apenas localmente, mesmo correndo o risco de ver todo o seu sistema de imagens sendo inutilizado em ocorrências onde destroem o DVR. Aliás, estas ocorrências têm sido cada vez mais comuns. Pessoas mal-intencionadas destroem o DVR para sumir com os vídeos, após cometerem um delito qualquer. Fazem isso para apagar as provas.

Outros preferem gravar apenas em nuvem, utilizando câmeras IPs.

Contudo, se você estiver buscando o maior nível de segurança possível recomendamos gravar tanto na câmera de segurança quanto na nuvem. Ambos modelos se complementam e acredite: deixam o projeto mais barato. Isso porque permitem dar ao cliente um longo histórico gravado, ao mesmo tempo em que usufruem da segurança da nuvem.


A melhor estrutura e o melhor dos dois mundos


Quando a pessoa deseja ter um histórico longo, digamos 90 dias, mas ao mesmo tempo quer ter a segurança da nuvem e poupar custos, a melhor estrutura é combinar o uso do DVR com a nuvem.

Por que?

O DVR grava por longos períodos por um valor mais baixo de investimento.

Já a nuvem possui alta segurança para os vídeos.

Ao combinarmos ambas as tecnologias, pode-se gravar 90 dias por movimento no DVR e 30 ou 15 dias em nuvem.

Mas só 15 dias? Não é pouco?

Não. A nuvem será acessada caso roubem ou sabotem o DVR. Para isso 15 dias é mais do que suficiente, afinal a nuvem será acessada para que seja possível ver a ocorrência que causou a parada o DVR.


Segurança Tripla


Uma outra forma de se criar uma estrutura ainda mais forte é unindo as câmeras IP a um DVR. Isso porque o infrator provavelmente destruirá o DVR e assumirá que todas as câmeras foram desativadas. Mas ainda haverá câmeras independentes do DVR gravando o delito, que serão ignoradas.

 

Quer saber mais sobre gravação em nuvem o oferecer este serviço aos seus clientes? Acesse monuv.com.br/giga